quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Formigão danado!



Formigão abusado

Voava, voava e pousava.

De banco em banco, de braço em braço

Abusado que só, ousava e não exitava.

Num desses voos ousados,

Pousou onde não deveria

Levou um safanão e caiu numa armadilha.

Numa teia de aranha se enroscou

Mas ele não se desesperou

Mesmo estando enroscado ele muito se agitou.

Batia asas, rolava para lá e para cá.

A aranha subia e descia

Produzindo sem parar.

Quanto mais o formigão se debatia

Mas se enrolava.

Aparentemente ele era derrotado.

Quem de longe assistia

Via sua agonia

Mas ele sabia o quanto era capaz.

E não desistiu apesar das circunstâncias.

E a aranha?! Subia e descia triunfal

Desdenhando do formigão abusado

Mal sabia o que a esperava.

Como num passe de mágica

Daquela teia se desatou

Caiu sob o chão sequinho

Que de pronto o amparou

Correu alguns milímetros

E suas asas sacudiu

Com muita ousadia, aquele grude de suas asas saiu.

Deu um sacolejo final

Focou e recomeçou a caminhada.

Como de bobo não tem nada, um contorno ele fez

Depois de dois ou três milímetros

Arriscou um novo outra vez.

E a aranha só resta assistir a vitória

Do formigão abusado.


****

Boa noite galera.

Estava tentando contar esta história de uma forma clara, mas não consegui, então arrisquei uma rima que não ficou lá grande coisa, mas tá legal.

A questão é que isso aconteceu hoje. Estava na igreja, antes de começar o culto quando uma formiga desses q voam (eu não sei explicar a espécie, mas era um formigão) pousou no meu braço e eu de pronto dei um peteleco nela. Pois a bichinha foi direto para numa teia de aranha que tinha embaixo da cadeira da frente. Aliás, eu só via teia quando percebi que a formiga estava presa.

Bem, eu fiquei totalmente concentrada no que estava acontecendo e cheguei a pensar que a aranha tinha levado aquela briga, apesar de ser bem menor que a formiga. Ainda mais que a formiga se debatia tanto e se enrolava mais ainda.

Fiquei surpresa quando ela conseguiu se soltar, caiu no chão, deu uma corridinha e logo começou um novo voo. Foi quando me peguei pensando: é isso aí...não importa o problema, nem o tamanho dele, muito menos o quanto estão torcendo contra ou pensando negativo, o importante são as suas forças, o quanto você se conhece e conhece a sua capacidade. Ela mostrou para a aranha, que apesar de não ter nenhuma arma (considerando que a aranha contava com a teia pegajosa) ela tinha força de vontade e não iria desistir, tentaria até o fim!

Então esta é a lição: Tentar sempre, desistir jamais! Até o último segundo, ainda há chances. Tudo termina bem, se não está bem é porque não terminou certo?!

Mãos a obra! E força na luta!

Beijos.

3 comentários:

  1. Adorei o post!!! não tava levando muita fé nele, tava achando que era um conto infantil rs. Mas depois eu entendi do que se tratava, excelente.

    ResponderExcluir
  2. "Tudo termina bem, se não está bem é porque não terminou certo?!"

    Certíssimo, se o post fosse apenas essa frase eu já estava satisfeito. Nota 10!

    ResponderExcluir
  3. Queridos,


    segue o meu novo blog. Para quem não sabe o Gabriel Pinho, meu namorado, é casado e nunca tinha me dito nada. Veja a confusão no blog que criei, comente e divulgue.

    http://gabrielpinhomesacaneou.blogspot.com/

    Bjs

    ResponderExcluir

Gostou? Então comente! Não gostou? Comente também!