segunda-feira, 3 de abril de 2017

Quantas vezes pensando em crescimento e expansão enquanto você só se agarrar a coisas velhas e do passado!
Eu aqui pensando em evolução e coisas novas, você ainda presa naquela mesa velha que não cabe mais em lugar algum.
Quantas coisas não tem mais espaço na sua vida e ainda insiste em fazer caber?
Pra mim, quem se apega tanto ao material e não se desfaz de nada tende a se agarrar a sentimentos antigos e ruins também.
Tem mágoa de estimação! Quanto atraso!
Eu aqui pensando em um futuro de glória e você querendo reviver derrotas do passado.
O que passou, passou. Não pode ser mudado.
O que está por vir pode ser construído e surpreendente. Não deveríamos direcionar nossas energias para isso?
Chega de passado, chega de ontem. Eu quero hoje, quero amanhã e depois, e depois...

domingo, 25 de dezembro de 2016

E o tempo passa

Comecei a lembrar hoje que o blog vai fazer 9 anos! Tempo pra caramba! E resolvi acessar para dar uma olhada no que eu escrevia naquele tempo.

Bem, eu tinha apenas 22 anos, era muito sonhadora e vivia completamente fora da realidade do mundo (eu ainda me acho fora da realidade, mas não tanto quanto antes).

Aos 22 eu era apaixonada (vide os textos), sonhadora, inocente e dedicada ao que fazia. Auto estima baixíssima, uma fé inabalável...eu acreditava em tudo e em todos.

Alguns textos que leio não faço ideia do que se trata, outros são bem bobos, mas sera era eu há alguns anos. Hoje já não consigo escrever da mesma forma. Não consigo pensar da mesma forma. Muita coisa perdeu a graça, para tantas outras já não tenho mais saco nenhum!

Cara, eu postava letra de música!!!!!! LETRA DE MÚSICA!!! Hoje eu quase não escuto música! A falta de tempo, ansiedade em demasia e tanto estresse no dia a dia me tirou o prazer de muitas coisas!

E junto disso tudo só vejo mais um ano terminando, 2017 chegando e nada de novo acontecendo! Mas vamos lá né? Vai que o novo ano me surpreende?

A verdade é que só passei aqui pra falar nada com coisa nenhuma. Beijos pessoas rs

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Mundo de Ilusões

Quanta distância entre o real e o que se pretende mostrar ao mundo
Quanta vontade de mostrar o que não é, ter o que não possui
Quanto tempo e energia perdidos em dias triste marcados por lentes e filtros
Quanta besteira.

Quanta força para esconder o lado feio da vida
Quanta tolice em tentar maquiar a realidade
Tanto esforço em acumular coisas
Nenhum esforço em manter pessoas

Não se culpe pelos erros alheios
Não carregue o peso de ninguém
De dores já bastam as suas
Nem todas as decisões são tomadas por você
Algumas coisas simplesmente precisam acontecer

Não se ofenda com o que vê por aí
Não se compare, cada um sabe a triste e doce realidade a respeito de si
Nem tudo são flores e nem tudo é espinho
Cada dia já basta para aguentar o que vem, seja lá o que for
Sem ansiedades, sem pressão
Cada um segue como pode, luta com o que tem
Se mantém com o que é
Não caia na armadilha desse mundo de ilusões

domingo, 21 de agosto de 2016

Ela só quer paz

Trinta, quase trinta e um e ainda espero o encontro ideal. Fiquei muito tempo sem sair com ninguém e quando voltei pra esse mundo da "paquera" de merda percebi o quanto eu queria algo totalmente diferente dos caras desse mundo!!!
A questão é que aos 15 anos eu queria dar uma voltinha nas praça, ficar lá de pegação e beijando até a boca cair! E os moleques da época sempre estavam dispostos.

Lá pelos 20 eu ainda queria dar uma volta, agora no Shopping (quem sabe?), ir ao Cinema, dar um rolé qualquer e ainda sim ficar de beijação até a boca cair. E os moleques concordavam.

E o tempo foi passando e lá pelos 25 eu já queria uma carona, por que era uó ter que sair de buzão! Mas sempre pegava os caras que só andavam a pé! Tá, vai me chamar de "Maria Gasolina"? Se você morasse longe de tudo também seria! As pretensões eram as mesmas, ficar de agarramento por ai. Nunca tinha em mente algo super sério. E os moleques caiam pra cima!

E aí que hoje não é bem isso que eu quero, mas os "moleques" não mudaram! Os "moleques" atuais tem mais que 35 anos, e ainda estão na etapa ficar dando voltinha de carro, parar na praça e ficar de pegação! Quando vejo isso dá vontade de gritar e arrancar os cabelos! Pelo-amor-de-deus!!!!!! Aonde está o cara que vai me chamar pra sair, dar uma volta na praia a noite, comer em um lugar diferente, me contar algo extraordinário e novo, fazer piada da própria falta de sorte, contar uma piada sem graça ou sei lá! Mas que vai fazer valer a pena cada momento!

Cadê o cara que não vai chegar contando vantagem, chorando miséria ou só querendo dar um rolé. Por que "rolé" eu dou sozinha porra! Se for pra andar de carro atoa eu ando no meu ou chamo um táxi, uber ou vou de buzão...

Cadê o diferentão, o especial, o super super que vai mudar as regras? Por ora eu desisto...mentira, lá no fundo eu não perco a esperança!

Um turbilhão Olímpico e outras coisas

Ninguém queria as Olimpíadas, queriam gritar Fora Dilma, Fora Temer, Fora Olimpíadas, fora a porcaria toda, mas desde a abertura que os brasileiros (lê-se Cariocas) se renderam a festa.

Queriam boicotar os jogos, mas o que dizer os estádios lotados? Trânsito dos infernos, time line bombando de fotos do Boulevard Olímpico, Pira e tudo mais. De repente todos viraram patriotas. 

A sensação geral era "não deveríamos ter sediado esse grande evento, mas, já que aconteceu, vamos festejar"! Bem no estilo brasileiro de ser. Quem está na chuva é pra se molhar. Confesso que fui uma das que pensaram assim. Não festejei por pura falta de dinheiro e tempo para participar da festa (exatamente nessa ordem).

*** Corta pra 18 ***

Ela órfã, de família só tem uma irmã, ralou até o oitavo mês completo de gestação, saindo todos os dias as 3h da manhã para encarar mais de 50km de viagem de casa para o trabalho.

Ele de família completa, optou pela mudança de bairro para facilitar a vida (dele) mas sem saber que Ela estava grávida, o que complicou tudo.

Eles, juntos há muitos anos, apesar de tão jovens, formaram uma família meio que no susto. Sem muita estrutura, mas sobrando vontade.

Ele sempre preocupado, saindo correndo, aceitando as caronas com o único foco de chegar cedo e ainda encontrá-la acordada e poder aproveitar a companhia da esposa/amiga/parceira. Sempre preocupado (preparar o jantar, arrumar a casa, ela chega cansada, os pés já incharam, precisa se alimentar bem, chega de besteiras, o que faremos quando nascer?, todos estão longe, não temos ninguém)!

São tantas dificuldades, faltas, barreiras, problemas e tão pouca solução. Mas nunca ouvi reclamações, ou mesmo um momento de irritação e desafeto.

Talvez seja isso aí o tal amor, um "conta comigo" implícito, o apoio necessário, as mãos dadas para seguir em frente, a preocupação sincera com o próximo, a satisfação da companhia. Não é comodismo, não é resignação. Mas é saber que as coisas podem melhorar sim, mas neste momento estão como estão. É a simplicidade do ser e não ter. É a escolha do "ser" do outro e não do ter.

É preciso muita evolução para isso, humildade e coração aberto. Dar sem esperar nada em troca, ser cúmplice, sincero e formar uma grande parceria. Ele e ela agora são três, veio lindo, cheio de saúde e vida mostrar que aonde tem amor sempre terá espaço pra mais um.

Quando os assisto sempre penso na máxima: Quem quer dá um jeito e quem não quer arruma uma desculpa (ou algo assim)!